Varizes: o que são e como surgem?

Um dos vários procedimentos que realizamos é a cirurgia de varizes. Alguns podem pensar que essa operação é meramente superficial, mas a verdade é que essas veias podem apresentar um problema maior do que o simples incômodo estético.

O que são varizes?

Varizes são veias salientes e visíveis que perderam, de forma irreversível, suas funções e anatomias originais. Qualquer veia pode ficar varicosa, mas as varizes são mais comuns nas veias da perna e dos pés, geralmente porque a pessoa passa muito tempo parada em pé ou assentada.

Como surgem?

O sangue é levado do coração para todo o corpo pelas artérias e volta através das veias. O “caminho de ida” é fácil quando a pessoa está em pé ou sentada, pois o sangue é impulsionado pelo coração para baixo. Na hora de voltar (subindo), porém, há uma certa dificuldade, que pode ser agravada no caso de veias com válvulas doentes.

Nesse caso, o sangue sai do seu fluxo normal (de baixo para cima) pelas veias profundas e acaba indo de cima para baixo pelas veias superficiais. Como o volume sanguíneo aumenta, acontece a dilatação das veias e, consequentemente, as varizes.

Sintomas

Em algumas pessoas, as varizes podem causar dor, desconforto e problemas mais graves, como aumentar o risco de doenças circulatórias. Além disso, a pessoa pode ter sensação de peso nas pernas, prurido (coceira), além de complicações como flebites (inflamações nas paredes das veias), úlceras (feridas) e hemorragia por ruptura de uma veia.

Causas

A causa mais comum é a hereditariedade. Herdando-se veias mais frágeis, há predisposição ao aparecimento das varizes com o passar do tempo e outros fatores de risco. Como dito anteriormente, ela também pode sinalizar um outro problema, como:

- Coágulos de sangue ou bloqueio nas veias;

- Veias profundas danificadas;

- Vasos sanguíneos anormais;

- Tumores (raramente).

Fatores de risco

O risco de desenvolver varizes pode aumentar devido a alguns fatores, como:

- Gravidez;

- Ser do sexo feminino;

- Excesso de peso;

- Idade avançada;

- Passar muito tempo em pé ou sentado;

- Doenças do fígado, líquido no abdômen, insuficiência cardíaca ou outra condição que aumente a pressão no abdômen;

- Hereditariedade;

- Histórico de trombose venosa profunda.