Saiba porque a gordura no fígado pode atingir seu coração

O acúmulo de gordura no fígado, quando não causado por ingestão de bebida alcoólica, é cientificamente chamado de Doença Hepática Gordurosa não Alcoólica ou Esteatose Hepática. Atualmente essa é a doença mais comum do fígado, chegando a acometer cerca de 30% da população adulta, com maior frequência em pacientes obesos, hipertensos, diabéticos ou que apresentam alteração do colesterol e triglicerídeos.

O risco de desenvolver Esteatose Hepática está cada vez maior devido aos índices de obesidade da população. No Brasil 56,9% das pessoas com mais de 18 anos estão com excesso de peso, ou seja, quando o índice de massa corporal (IMC) é igual ou maior que 25. Além disso 20,8% das pessoas são classificadas como obesas por terem IMC igual ou maior que 30. A obesidade é também fator de risco para doenças como hipertensão, diabetes e câncer.

O diagnóstico de gordura no fígado é realizado por ultrassonografia abdominal ou através de alterações detectadas em exames de sangue. Na maioria dos casos,o paciente não apresenta sintomas. No entanto, a doença hepática gordurosa não alcoólica, apesar de silenciosa, é um problema de saúde sério, pois se associa a um maior risco de alterações cardiovasculares, tais como angina, infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral. Os pacientes com esteatose hepática apresentam também maior risco de inflamação no fígado causada pela gordura e também de cirrose hepática, que seria a fase mais avançada do processo.

Recomenda-se que todo paciente com doença hepática gordurosa não alcoólica seja avaliado quanto ao risco de doenças cardiovasculares. Nestes casos torna-se primordial a prática regular de atividade física e dieta saudável, sendo recomendado a perda de peso para os indivíduos com sobrepeso e obesidade. Além disso deve-se controlar a pressão arterial, o diabetes mellitus, o colesterol e triglicerídeos, e evitar excesso de bebida alcoólica. Após o diagnóstico de esteatose é também necessário que sejam excluídas outras causas de hepatites, especialmente hepatites virais, avaliando o grau de comprometimento do fígado.

Atualmente, a esteatose hepática é considerada um problema grave de saúde pública mundial. Um grande esforço tem sido realizado para o desenvolvimento de medicamentos focados neste problema. A cirrose causada pela doença hepática gordurosa não alcoólica é hoje a terceira maior causa de transplante de fígado nos Estados Unidos. No Brasil verifica-se um aumento significativo nos índices de sobrepeso e obesidade nas últimas duas décadas, o que contribui ainda mais para a mortalidade por obesidade.

Texto escrito pela Professora Dra. Claudia Alves Couto - Profª Associada do Departamento de Clínica Médica da Universidade Federal de Minas Gerais.