Implante de Endoprótese: tratamento para aneurisma que vem dando certo

Como explicamos em outro post, o aneurisma é a dilatação anormal de uma artéria. Ele ocorre com mais frequência em pessoas acima de 60 anos e o mais comum é o aneurisma na aorta, perto da região do abdômen. Neste texto, explicaremos como é feito o Implante de Endoprótese, uma abordagem que se popularizou nos últimos anos e tem se mostrado a escolha com menor mortalidade.

O que é uma endoprótese?

A endoprótese é um tubo sintético suportado por uma estrutura metálica. Ao ser colocado no local da dilatação, ele reforça as paredes da artéria aorta dilatada e evita que ela se rompa.

Como é feito o procedimento

O implante é bem menos invasivo do que a cirurgia aberta, pois não precisa abrir o abdômen do paciente e nem retirar a artéria dilatada. A endoprótese chega ao aneurisma com a ajuda de um longo e fino tubo de plástico, chamado cateter de liberação, que é inserido através de uma artéria na perna, próxima à virilha.

O cirurgião, com o auxílio de métodos avançados de imagem, consegue enxergar o "caminho" e guiar a endoprótese até a região do aneurisma. Quando estiver posicionada, a endoprótese é liberada e o cateter é retirado.

Benefícios  

Por ser um procedimento minimamente invasivo, a recuperação é mais rápida. Algumas pessoas já retomam as atividades normais dentro de 4 a 6 semanas. É também uma abordagem mais segura para pacientes mais idosos, que poderiam não sobreviver à cirurgia aberta. Além disso, a mortalidade em um ano após o implante de uma endoprótese  é inferior a 3%.

Riscos

Como qualquer cirurgia, o implante de endoprótese também tem seus riscos. Existe uma pequena chance do aneurisma se romper mesmo com a endoprótese, que é um pouco maior do que na cirurgia tradicional.

Outras possíveis complicações são:

- Perdas de sangue ao redor do enxerto da endoprótese;

- Bloqueio do fluxo sanguíneo através da endoprótese;

- Deslocamento da endoprótese;

- Fratura da endoprótese;

- Infecção.

Conclusão: implante de endoprótese ou cirurgia aberta?


Nem todos podem realizar o implante de endoprótese. Em alguns casos, a anatomia não favorável ao tratamento ou o aneurisma pode estar muito próximo de outros órgãos. Não se preocupe: o seu médico ou cirurgião irá te ajudar a decidir a melhor opção.