Estenose aórtica: a doença pouco conhecida que atinge quase 200 mil brasileiros

Apesar de não ser tão conhecida, a estenose aórtica é uma doença cardíaca presente em cerca de 150 mil brasileiros acima dos 75 anos e, caso não seja tratada, pode ser fatal em questão de poucos meses. A doença caracteriza-se pela incapacidade da válvula aórtica de abrir-se completamente para controlar o fluxo de sangue do coração.

Imagine a válvula como uma torneira que abre e fecha de acordo com o batimento e relaxamento do coração (entenda melhor aqui). A doença é mais comum em pessoas com mais de 60 anos, pois a válvula perde sua elasticidade com o tempo e pode deixar de abrir corretamente. Isso leva à redução do fluxo sanguíneo que passa pela valva e pode causar  cansaço, tontura e inchaço das pernas.

A cirurgia tradicional consiste em abrir o peito do paciente para realizar a troca valvar (link). Porém, como a maioria dos casos envolve pessoas em idade já avançada, uma abordagem menos invasiva foi desenvolvida para minimizar os efeitos do processo: o implante percutâneo da válvula aórtica (TAVI).

Nesse procedimento, que pode ser realizado sem necessidade de anestesia geral, um cateter com uma bioprótese valvular aórtica é implantado através de uma artéria da virilha para chegar até o coração, onde substituirá a válvula doente. O método ainda está se concretizando no Brasil, mas nossa equipe já vem adquirindo experiência nesse assunto tendo acompanhado diversas cirurgias no exterior. Aqui na clínica, realizamos o TAVI em pacientes selecionados.

Prevenindo a estenose aórtica

Assim como as doenças coronárias (link), a prevenção da estenose aórtica pode ser feita:

- controlando o colesterol e a diabetes;

- parando de fumar;

- praticando atividades físicas regularmente.