Doença Valvar Cardíaca Parte II: tipos de tratamento

Depois de entender melhor o que são as valvas cardíacas, hora de conhecer os tratamentos que oferecemos em nossa clínica. As opções de tratamento depende de vários fatores, como o tipo de valva que está comprometida, a gravidade do problema, a sua idade e história clínica. A nossa equipe cardiológica e cirúrgica informará a você as opções específicas de tratamento para seu caso.

É possível que sejam indicados medicamentos para compensar o defeito valvar, mas a cirurgia ainda pode ser necessária. Nesse caso, há dois tipos de procedimentos para corrigir a doença valvar cardíaca: plástica (ou reparo) valvar e troca valvar. Essas operações estão entre as mais realizadas no mundo, especialmente no Brasil.

1) Plástica Valvar: frequentemente o cirurgião trabalha na valva doente sem usar material protético. A valva mais comumente reparada é a mitral. As vantagens da plástica valvar são:

- Menor risco de infecção;

- Diminuição da necessidade do uso de anticoagulantes (afinamento do sangue);

- Preservação mais adequada da função do coração.

Nesse procedimento, várias técnicas podem ser utilizadas e nossa equipe está preparada para oferecer o que há de mais moderno.

2) Troca Valvar: neste tipo, o cirurgião remove toda a valva e coloca em seu lugar uma prótese feita de diferentes materiais. Na troca valvar podem ser necessárias medicações anticoagulantes, como o Marevan.

Os tipos de válvulas utilizados na troca valvar são:

Válvulas Biológicas: podem ser feitas de pericárdio bovino, valva de porco ou tecido humano (homoenxerto). Elas também têm partes artificiais na sua fabricação. Muitos pacientes que recebem essa válvula não necessitam utilizar anticoagulantes pela vida toda. Tradicionalmente, essas próteses duram entre 10 a 15 anos.

Homoenxerto: é uma válvula obtida de um doador póstumo, congelada e transplantada no receptor. Ela pode ser utilizada para troca valvar aórtica e pulmonar. Muitos pacientes que recebem o homoenxerto não utilizam anticoagulantes.

Válvula Mecânica: é feita de material artificial bem tolerado pelo organismo. Ela é desenhada para durar pelo resto da vida. Todos os pacientes que recebem essa válvula deverão utilizar anticoagulantes ininterruptamente.

Cuide de suas valvas cardíacas

Uma das infecções mais comuns das valvas cardíacas é a endocardite infecciosa. Ela ocorre quando bactérias ou fungos entram na corrente sanguínea e se instalam nas valvas. A infecção pode acarretar em disfunção valvar, com destruição dos tecidos e cicatrizes viciosas. Sem tratamento essa doença pode ser fatal.

Para se prevenir:

- Pratique boa higiene bucal, procurando o dentista anualmente;

- Comunique a seu médico sintomas de infecção, como febre, calafrios, manchas na pele, desânimo, dor de cabeça persistente, náusea e vômitos;

- Se você tem uma prótese valvar e já teve endocardite, sua propensão é ainda maior. Nesse caso, converse com seu médico sobre a possibilidade de usar antibióticos profiláticos antes de determinados procedimentos médicos e odontológicos.

Ficou com alguma dúvida? Dê uma olhada em nossas explicações sobre Doença Valvar Cardíaca ou fale conosco. Estamos sempre dispostos a te ajudar a entender melhor sua situação e oferecer o melhor atendimento possível.