Conheça os principais avanços tecnológicos em cirurgia cardiovascular

O Brasil é um país de contrastes. Nosso Produto Interno Bruto (PIB) diminuiu nos últimos anos, fruto de uma crise econômico-política instalada. Por outro lado, mesmo com diversos problemas econômicos, a comunidade científica tem comprovado grandes avanços médicos em nosso país.

Entretanto, devido ao envelhecimento da população, as doenças cardiovasculares continuam a crescer. Esses pacientes são em grande número idosos com várias doenças associadas e que, muitas vezes, já se submeteram a algum procedimento cirúrgico. Isso torna as novas intervenções um risco maior de complicações e mortalidade.

É relatado em diversos trabalhos científicos que a sobrevida em longo prazo de pessoas acima de 80 anos, que foram submetidas a procedimentos cardiovasculares é muito boa. As pesquisas em diversas áreas da cardiologia e cirurgia cardiovascular e o desenvolvimento de novos medicamentos e dispositivos são alguns dos responsáveis pelos excelentes resultados alcançados.

Uma das tecnologias que tem contribuído para o tratamento de diversos pacientes ao redor do mundo são os procedimentos minimamente invasivos, realizados através de mini-incisões, auxiliados ou não por braços robóticos. Os avanços nessas cirurgias favorecem a alta hospitalar mais rápida e facilitam a recuperação dos pacientes. Isso porque proporcionam:

Os avanços no tratamento da insuficiência cardíaca

Na abordagem da insuficiência cardíaca, o desenvolvimento técnico-científico tem sido notório nos últimos anos. A comunidade científica vem aprimorando as opções de tratamento  desenvolvendo diferentes classes de medicamentos, bem como dispositivos que podem substituir o coração, o que proporciona excelente qualidade de vida aos pacientes que não precisam de transplante cardíaco.

Por outro lado, durante o transplante cardíaco, há pesquisas que buscam a melhor proteção do órgão, substituindo a isquemia fria por mecanismos de manutenção da função miocárdica, permitindo maior tempo de intervalo entre a doação e a cirurgia. É o chamado OCS (Organ Care System), um sistema de cuidado de órgãos, produzido pela empresa Transmedics e que já foi mencionado por nós em nossa página no Facebook.

Ainda para o tratamento da insuficiência cardíaca existem atualmente marca-passos que podem melhorar a função do coração na medida que controlam melhor o ritmo e diminuem a dissincronia ventricular, fato que ocorre nos pacientes com perda significativa da função do coração.

Próteses valvares que melhoram a qualidade de vida do paciente

Estimuladas pelo grande número de operações valvares realizadas ao redor do mundo, a indústria farmacêutica tem feito grandes investimentos no desenvolvimento tecnológico da produção de válvulas artificiais. Novas próteses valvares artificiais, feitas com material biológico ou com componentes metálicos, têm sido desenvolvidas e testadas clinicamente e em laboratório.

Recentemente foi possível o desenvolvimento de válvulas artificiais que são implantadas por cateter. Essas próteses representam futuro promissor, principalmente para pacientes  idosos, muito doentes e com diversos problemas associados. Essas válvulas são posicionadas em cateteres e implantadas sem a abertura do tórax. Milhares de pacientes estão sendo tratados com essa nova técnica, melhorando a qualidade de vida desses doentes tão severamente acometidos e limitados.

O papel do médico perante as mudanças tecnológicas

O desenvolvimento de diferentes possibilidades de tratamento das doenças cardiovasculares nos mostra o quanto é importante o cirurgião cardiovascular adaptar-se às mudanças tecnológicas que vêm ocorrendo na especialidade. Além disso, para diminuir ainda mais a morbidade e a mortalidade após as cirurgias cardíacas, o cirurgião cardiovascular deve participar de trials clínicos, estudando e analisando novas tecnologias e se esforçando para acompanhar o desenvolvimento de novos sistemas e dispositivos.

Os cirurgiões devem trabalhar em equipe junto ao grupo clínico, intervencionistas e radiologistas para que o tratamento mais seguro e eficaz seja oferecido aos pacientes com problemas cardiovasculares.

É importante, portanto, enfatizar o significativo papel do médico não apenas como profissional que oferece suporte técnico-científico, mas também como alguém que se preocupa com o ser humano e suas configurações física, psicológica e espiritual. Tudo isso proporciona resultado excelente, com menor sofrimento e maior segurança e felicidade ao paciente.